Resenha de Livro: Legend - Marie Lu

13 comentário(s)
Título: Legend
Título Original: -
Autor: Marie Lu
ISBN: 978-85-7927-209-7
Páginas: 256
Ano: 2012
Editora: Prumo
Preço: 29,90
Avaliação: 


Ambientado na cidade de Los Angeles em 2130 D.C., na atual República da América, conta a história de um rapaz – o criminoso mais procurado do país – e de uma jovem – a pupila mais promissora da República –, cujos caminhos se cruzam quando o irmão desta é assassinado e a ela cabe a tarefa de capturar o responsável pelo crime. No entanto, a verdade que os dois desvendarão se tornará uma lenda. O que outrora foi o oeste dos Estados Unidos é agora o lar da República, uma nação eternamente em guerra com seus vizinhos. Nascida em uma família de elite em um dos mais ricos setores da República, June é uma garota prodígio de 15 anos que está sendo preparada para o sucesso nos mais altos círculos militares da República. Nascido nas favelas, Day, de 15 anos, é o criminoso mais procurado do país; porém, suas motivações parecem não ser tão mal-intencionadas assim. De mundos diferentes, June e Day não têm motivos para se cruzarem – até o dia em que o irmão de June, Metias, é assassinado e Day se torna o principal suspeito. Preso num grande jogo de gato e rato, Day luta pela sobrevivência da sua família, enquanto June procura vingar a morte de Metias. Mas, em uma chocante reviravolta, os dois descobrem a verdade sobre o que realmente os uniu e sobre até onde seu país irá para manter seus segredos.

Sanguinário e real, com certeza uma obra distópica extremamente completa


É muito difícil imaginar uma obra distópica que não tenham duas coisas, ação e emoção. Esses dois atributos estão mais do que presentes em Legend, fazendo da obra uma das melhores distopias que eu já li. 


Na trama do livro somos apresentados a uma república americana que corresponde a parte da atual California nos Estados Unidos. Nela, existem quatro espécies de bairros principais onde em dois deles moram pessoas com maiores condições financeiras e nos outros dois pessoas extremamente pobres e severamente ameaçadas por uma praga que aterroriza a população e está matando uma enorme quantidade de pessoas. Em meio a tudo isso temos Dan, um garoto que seria apenas um simples morador da parte pobre da república se não fosse o inimigo número 1 do estado por praticar roubos extremamente elaborados e sempre conseguir fugir sem deixar qualquer pista que leve ao seu encalço. Do outro lado temos June, uma menina de 15 anos fruto da elite da república com um futuro promissor pela frente. Ela e Dan não se conhecem, quer dizer, o único contato que June tem com o garoto é quando contempla o cartaz de procurado do garoto. 

Day não vive com sua família. Sua mãe pensa que o garoto está morto e cuida dos outros dois irmãos do menino. Day fez com que a mãe pensasse isso para evitar que as pessoas erradas o pegassem e acabassem chegando até a sua família. Um dos seus irmãos, Éden, é portador da praga e parece ficar pior a cada dia e a situação só piora quando o garoto piora e parece estar desenvolvendo em si uma nova praga mais perigosa e devastadora. Desesperado, Day acaba invadindo um hospital da república para roubar medicamentos que possam salvar a vida do seu irmão. Nessa busca o caminho dele acaba cruzando com o de June e dando início a uma intensa relação que vai do amor ao ódio e da ajuda a decepção. 

Todos os habitantes da república são obrigados a fazer uma prova para designar onde irão trabalhar, mas na verdade é mais como uma prova que vai determinar a vida dessas pessoas já que com uma nota baixa o indivíduo passará a vida praticamente sendo explorado e vivendo na miséria. Já com uma nota boa o indivíduo poderá crescer no escalão profissional de república e melhorar suas condições. June foi uma das duas únicas pessoas que conseguiu alcançar a nota máxima no exame e por consequência é de se imaginar que a garota tenha planos extremamente eficientes para fazer um cerco a Day e a sua prisão. A garota também parece bem mais madura do que se espera de alguém da sua idade, assim como Day também é, o que se deve muito a realidade a que ambos estão expostos. 

A narrativa do livro é intercalada em primeira pessoa entre os dois protagonistas, o que nos faz conhecer os dois lados da sociedade republicana e se envolver muito mais com a história e com os personagens. Mesmo a sociedade criada não sendo tão original possui alguns traços inéditos e uma narrativa envolvente. 

Marie Lu conseguiu construir com perfeição um engenhoso ambiente distópico no seu livro. Se analisarmos os detalhes da história podemos até perceber que em alguns locais do mundo essa ambientação que deveria ser apenas ficção já se tornou realidade em vários locais do presente e do passado. A escrita da obra é extremamente forte, o leitor vai se deparar com cenas que serão impossíveis não trazer para a vida pessoal e sentir a dor dos personagens. E acredite, quando algo extremamente dramático estiver para acontecer, nem tenha esperanças de que não aconteça, porque sim, irá acontecer e você leitor nem vai ter tempo de sofrer pelo ocorrido por conta de muitos que ainda virão. 

Não vejo razões para não ler Legend, uma obra que consegue mexer com todos os pedaços do sentimental do leitor. É certamente uma das melhores obras do gênero já lançadas.

13 comentários:

Ivi Campos disse...

Geralmente não gosto leio muitas distopias, mas depois de ler sua resenha estou achando que essa vale a pena ler, até porque, gostei do detalhe de ser narrado por mais de um personagem, o que nos faz ter uma visão panorâmica. Quero ler!!!

Jorge Mota disse...

Eu li a sinopse dele e não me interessei muito, mas a sua me deixou bem curioso. O livro é bom mesmo?

Patricia Fernandes disse...

Eu amo estes livros com ação aventura, e tudo mais.É impossível de resistir!!!! Adorei a resenha!!!!

Neny disse...

Eu adoro esta nova onde de distopias, pois as adoro ;D
Eu estou bem ansiosa para poder lê-lo, e acão e aventura bem escrito, é tudo de bom, fora que a capa é muito linda..sim sou das que compra um livro pela capa rsrs,
beijos.

Cássia Cavalcante disse...

sei lá. Mas a tua resenha ta bem massa, interessante que só.

lidi disse...

Esse livro é muito bom, ja li e adorei, estou mito ansiosa para ler a continuação.

Liziane Goulart disse...

Olá
estou começando a gostar de livros de distopia, logo que li o primeiro desse tema e não gostei fiquei com medo de não gostar de outras, mas esse livro Legend parece realmente muito bom e diferente do que li. Gostei e vou procurar ele para ler.
Abração

Karine Gomes disse...

só li um livro de distopia até agora, mas estou adorando esse tipo de livro. talvez leia este também parece bem legal :)

Ana Carolina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Carolina disse...

Eu amei esse livro e espero a continuaçao.

Fadlo Gonsales disse...

Eu amo distopias *--*
E essa parece ser perfeita
Resenha muito boa, com certeza irei ler esse livro!
Achei a capa bonitinhas...

Pedro Campos Beltrame disse...

Cara, na minha opinião as distopias são os melhores tipos de livros. Muitas vezes são escritos em 1ª pessoa (meu tipo de livro preferido), e também te envolve mais. Adorei o livro e a resenha, sensacional! Agora tô querendo euheuhe depois de ter lido a trilogia Jogos Vorazes e Divergente.. viciei!

Abraços.

beatriz carrijo pires de morais disse...

Sua resenha está ótima me deixou louca para ler o livro, amo esse tipo de livro, pra falar a verdade amo muito qualquer gênero, o que não aguento e ficar sem ler.
Sem dúvida assim que terminar o livro que estou lendo(cidade das almas perdidas)vou ler legend.

Postar um comentário

Manuseador da pena

Juan Silva, 16 anos, Carioca e Sagitariano. 3º ano e estudante do curso técnico de química. Não vivo sem bons livros, séries e filmes. De vez em quando, um café gelado sempre é bem vindo. {mais?}

Seguidores

No Facebook

Últimas Resenhas

Promoções

#Tagalerando

Editoras Parceiras

Arquivo

 

Layout desenvolvido exclusivamente por Tharcila Lima para o Asas Literárias. Veja o portfólio.