Resenha de Livro: O Guerreiro de Aukazland - César Costa

3 comentário(s)
Título: O Guerreiro de Aukazland
Título Original: -
Autor: César Costa
ISBN: 978-85-7679-653-4
Páginas: 352
Ano: 2012
Editora: Novo Século
Preço Sugerido: 34,90 

Se você alguma vez já jogou RPG sabe que cada passo, cada decisão, cada ação pode acarretar consequências inesperadas e inusitadas. Não ouse desafiar o mestre do jogo pois ele pode colocá-lo em uma cilada quando menos esperar. Neste livro onde os mestres do jogo são a sorte e o destino, um jovem guerreiro chamado Pistorius se vê obrigado a lutar para escapar das mais situações mais adversas. Após perder sua família, Pistorius percebe que está sozinho no mundo e que nada lhe resta a não ser procurar um tio distante ao qual nunca antes viu em sua vida. Quando todas as peças parecem se encaixar, prepare-se pois o mestre do jogo revela uma nova pista que levará Pistorius a saber a verdade sobre si, sua família e sobre o destino do mundo. 








O mercado literário nacional tem crescido muito, e eu como fã assumido dos autores brasileiros estou sempre conferindo as novas obras que surgem. Sou particularmente fã das fantasias, gênero ao qual se enquadra O Guerreiro de Aukazland do autor César Costa.








No universo da obra, somos guiados pelo jovem Pistorius. Em um ataque a sua vila sua mãe acabou sendo assassinado e o garoto não conhece o pai, tudo que lhe resta é partir em busca do seu tio, ao qual ele tem poucas informações. Assim que sai de sua aldeia, coisas estranhas começam a acontecer com o garoto, em um excesso de raiva, seus olhos mudam de cor e sua força torna-se descomunal. É aí que começam os primeiros mistérios em relação ao personagem.

Em sua jornada em busca do seu tio, Pistorius acaba conhecendo um homem misterioso que pede para que ele parta em uma missão em busca de um cristal, para isso, o garoto precisaria ir até uma floresta encantada e de preferência arrumar ajudantes para ir com ele, já que o local onde está o cristal não é digamos assim, seguro. Desse modo, o menino acaba recebendo a ajuda de um homem chamado Magnus, que ele conhece na cidade e de um ogro chamado Baruzk. Ao decorrer da história, novos amigos e também inimigos vão surgindo. O local onde os personagens vivem é totalmente fictício, o que só torna a fantasia mais encantadora para aqueles que assim como eu possuem imaginação fértil.

Como o próprio autor descreve na sinopse o ambiente do livro parece um RPG. Durante a leitura me senti preso totalmente ao livro e parecia que eu estava vivendo tudo aquilo na pele. Me apeguei aos personagens e queria a todo custo inserir um personagem meu na trama. Durante a jornada de Pistorius, muitos problemas, acidentes, inimigos e amigos vão surgindo, acho que alguns acontecimentos da trama deveriam ter sido mais abordados mesmo que isso acrescentasse mais algumas páginas, já que no final, fiquei com um gosto imenso de quero mais.

O final deixou uma abertura para que haja continuação, e pelo que diz o autor, logo teremos outros livros baseados nessa livro, não necessariamente com o mesmo personagem em foco.









Olhei mais uma vez para o horizonte, prestei atenção no ruído do rio descendo e escutei o cantar de um pássaro, tudo parecia irreal, mas parar para prestar atenção aos ruídos à minha volta ajudaram-me a ter certeza de que tudo aquilo não era nenhum sonho, mas sim a pura realidade.


O Guerreiro de Aukazland acaba tendo 352 páginas que ao leitor terminar de ler parecem ter sido apenas 100 páginas.É impossível não querer se inserir nesse universo fantástico e não querer viver um pouco no universo de Pistorius.

3 comentários:

wender Monteiro disse...

Não conheço o jogo RPG, na verdade não sei muito de jogos, quase nada na verdade, não curto muito... mas, a resenha me fez sentir de certa forma atraído pelo universo criado pelo autor César Costa... ...Juan, parabens pela resenha, ficou muito legal... e na oportunidade, parabens tbm ao autor César Costa, tbm escrevendo a nossa própria história...

Atenciosamente,
Wender Monteiro

NATY disse...

Olá Juan!

Vim aqui conhecer o seu blog e gostei bastante, o design tá lindo e pelo que pude ver das postagens são ótimas! Já estou seguindo ^^

Quanto a resenha, eu gostei do jeito que a construiu dividindo em opinião incial, visão geral e etc. Acho que fica até melhor apra o leitor ler. Não conhecia o livro em questão, mas me interessei por ele, gosto de fantasia e como você disse que esse é o tipo de livro que você se sente parte dele fiquei curiosa para conhecer essa obra. Parabéns pela resenha!

Beijos;*
Naty.

O Resenhista disse...

Rapaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaais du céu (tá parei)...
Quero ler esse livro, e me arrependo por não ter lido essa resenha quando você postou... É brasileiro né? Ele já está na lista do De resenhas... kkk' acho que você entende o porquê.

juan, você manda muito bem, e sabe disso...

Abraços

Postar um comentário

Manuseador da pena

Juan Silva, 16 anos, Carioca e Sagitariano. 3º ano e estudante do curso técnico de química. Não vivo sem bons livros, séries e filmes. De vez em quando, um café gelado sempre é bem vindo. {mais?}

Seguidores

No Facebook

Últimas Resenhas

Promoções

#Tagalerando

Editoras Parceiras

Arquivo

 

Layout desenvolvido exclusivamente por Tharcila Lima para o Asas Literárias. Veja o portfólio.