Resenha de Livro: O Menino do Pijama Listrado - John Boyne

5 comentário(s)
Título: O Menino do Pijama Listrado
Título Original: The Boy in the Striped Pyjamas
Autor: John Boyne
ISBN: 978-85-359-1112-1
Páginas: 190
Ano: 2007
Editora: Cia. das Letras
Preço Sugerido: 36,00
Avaliação:



Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus. Também não faz idéia que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e a mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e para além dela centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com frio na barriga.Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. O menino do pijama listrado é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável. 

Quando conheci O Menino do Pijama listrado fiquei bem curioso sobre o que era a história a ser abordada. Na sinopse acima temos uma boa quantidade de informações sobre o que encontrar no livro, entretanto, na sinopse disponível do livro não temos muitos detalhes o que é essencial para fisgar um número enorme de leitores.  Mas em pleno 2012, quem ainda não conhece essa obra não é mesmo? 
Bruno era de opinião de que, em se tratando de pais, e especialmente em se tratando de irmãs, tudo o que eles não sabiam não podiam feri-los. - Pag. 118.
Na trama, somos guiados pelo Bruno um garoto de nove anos que teve que se mudar de sua casa em Berlim para um local isolado junto com a sua família. O garoto não gosta do novo local por não ter amigos e nem muitas fontes de diversão. Um certo dia enquanto está no seu quarto, Bruno vê pela janela algumas pessoas de pijamas listrados em um campo um pouco distante, ele acaba questionando sua mãe sobre quem são aquelas pessoas, o que acaba resultando em madeiras na janela do garoto que o impedem de olhar além delas.

Bruno e sua família acabaram se mudando para uma casa próximo a um campo de concentração, seu pai é um dos generais responsáveis pelas barbaridades feitas na Alemanha durante e depois da segunda guerra mundial. A visão inocente do garoto torna a história extremamente emocionante uma vez que ele não faz a mínima ideia do que seu país está passando e fazendo. John Boyne além de emocionar com um cenário totalmente dramático ao redor de Bruno, torna as coisas ainda mais tristes fazendo Bruno fazer amizade com um garoto que vive do outro lado da cerca, ou seja, é um dos judeus presos no campo de concentração.

A segunda guerra mundial fica um tanto maquiada durante a história, o foco principal está em Bruno e na sua família, o autor quis exatamente isso, mostrar como funcionava o cotidiano familiar dentro de uma cena de extermínio em massa por causas étnicas. É encantador a relação entre Bruno e o judeu Shmuel, a relação que existe entre os dois é símbolo de uma amizade sincera e verdadeira que vai muito além de relações étnicas.

Durante toda a história somos apresentados a uma realidade dramática, aqueles que não se sentem tristes durante a leitura com toda certeza se sentem no final um tanto trágico da obra. É com certeza, uma leitura indispensável para todos os leitores. 

5 comentários:

Rafa Oliveira disse...

Acho que nunca vou ler esse livro, assisti o filme e chorei no final, não sei se conseguiria ler.
Bjos,
Rafa :)
Blog Melody
http://rafaacarvalho.blogspot.com.br/

Caíque Fortunato disse...

Tenho muita vontade de ler esse livro, não vou assistir ao filme antes disso. Gostei muito da sua resenha, gosto de livros que trazem a triste realidade vivida por milhares de pessoas na 2 Guerra Mundial, as vezes é bom parar de fugir da nossa realidade e entende-la.

Abraços
http://entrepaginasdelivros.blogspot.com/

Aymée Meira disse...

eita, sinto cheiro de releitura por ai :P
kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
'-'
ai eu tenho medo de me morrer de chorar kkkk
chorei tanto com o filme, tenso. kkk
beijos

Amy - Macchiato

Anna Flávia Vieira disse...

Ai, já li o livro e amei !
Eu tinha assistido o filme, fiquei curiosa e não resisti, amo de paixão s2

wwwflavynhasz.blogspot.com

O Resenhista disse...

Bom, eu já assisti o filme e devo confessar que eu ri com o final. O filme é fraquinho demais, bem mais fraco que Caçador de Pipas... mas pode ser que o livro seja beeem melhor, tipo, Caçador de Pipas relata acontecimentos tão abismantes que eu fiquei abalado e não consegui evoluir na leitura...

abraços

Postar um comentário

Manuseador da pena

Juan Silva, 16 anos, Carioca e Sagitariano. 3º ano e estudante do curso técnico de química. Não vivo sem bons livros, séries e filmes. De vez em quando, um café gelado sempre é bem vindo. {mais?}

Seguidores

No Facebook

Últimas Resenhas

Promoções

#Tagalerando

Editoras Parceiras

Arquivo

 

Layout desenvolvido exclusivamente por Tharcila Lima para o Asas Literárias. Veja o portfólio.