Resenha de Livro: O Segredo de Jasper Jones - Craig Silvey

12 comentário(s)
Título: O Segredo de Jasper Jones
Título Original: Jasper Jones
Autor: Craig Silvey
ISBN: 978-85-8057-170-7
Páginas: 288
Ano: 2012
Editora: Intrínseca
Preço: 29,90
Avaliação


Quando em uma noite de verão, Jasper Jones bateu na janela de Charlie Bucktin procurando ajuda, e Charlie prontamente o seguiu sem saber ao certo o que Jasper Jones poderia querer com ele, o garoto jamais imaginou que sua vida mudaria de uma forma tão grande. A verdade é que Charlie não estava nenhum pouco preparado para ver o que viu. No momento em que descobriu o terrível segredo que Jasper Jones escondia, ele desejou voltar no tempo e apagar aquilo de sua mente. A verdade era tão difícil, tão cruel. Mas não havia mais volta. Agora Charlie Bucktin e Jasper Jones, dois adolescentes com tão pouco em comum, estavam unidos por um segredo terrível, que poderia abalar toda a cidade de Corrigan e destruir muitas vidas, se revelado.

Frases de efeito chocantes, personagens pungentes, base para uma história extremamente surpreendente e um desfecho nada inovador e muito decepcionante. São com essas 20 palavras que posso resumir toda a resenha dessa obra. Entretanto, esse é um livro que dividiu muito a minha opinião, nunca amei tanto e odiei ao mesmo tempo uma história, e o porquê vocês veem a seguir. 

Não é que o livro seja ruim e passe do início ao fim apenas prometendo uma trama de tirar o fôlego, porque acreditem, não é. No início do livro já somos apresentados a um mistério no mínimo intrigante. Charlie é um garoto normal de treze anos que vive em Corrigan na Austrália, e por mais que o título do livro tenha o nome de outro personagem, ele é o nosso protagonista. O garoto tem poucos amigos, na verdade apenas um, Jeffrey Lu. Em um dia, enquanto lê um dos inúmeros livros do escritório do seu pai, Charlie escuta batidas na sua janela e ao chegar perto vê que fora da sua casa está Jasper Jones. Jasper é conhecido como o maior delinquente da cidade, não que o garoto viva de arruaças, faça confusão ou maldade com alguém, mas é julgado pelo simples fato de não ter mãe, ter um pai ausente, e frequentemente ser visto bebendo ou fumando. Charlie acaba abrindo a janela e Jasper Jones pede que ele o acompanhe até um local. Mesmo hesitante Charlie acaba o acompanhando e ao chegar lá se depara com o corpo de Laura Wishart, amarrado pelo pescoço em uma árvore. 

Aterrorizado, Charlie não entende nada e é claro que vem na sua cabeça o pensamento de que Jasper possa tê-la matado, mas essa é uma hipótese que o jovem desiste rapidamente. Jasper diz que alguém matou a garota já que ele não acredita que ela tenha se matado. Charlie não entende o envolvimento do garoto com Laura, até que ele diz que os dois sempre se encontravam ali e que nesse momento ele precisava da ajuda de Charlie para sumir com o corpo, ou então, todos na cidade iriam acusa-lo de ter matado Laura. 
E eu lhe diria que a vida pode ser mais fácil se você ceder um pouquinho, mas é melhor se você se agarrar a algo com tanta força que seja impossível desistir. - Pag. 105.
E aí o leitor se pergunta: Será que Jasper matou essa garota? Se não foi Jasper o assassino, então quem foi? A garota foi realmente assassinada ou se matou? E com essas perguntas, é de se esperar que qualquer um que lê a trama leia o resto do livro em ritmo frenético para obter respostas. 

Essas perguntas e enredo misterioso não são os únicos conteúdos do livro. Jeffrey Lu que já foi mencionado acima como único amigo de Charlie, tem uma história no mínimo interessante. Ele e sua família vieram do Vietnã e estão se adaptando a vida na Austrália. O autor não deixa muito claro a época em que se passa a história do livro, mas dá a entender que é no período da guerra fria, onde aconteceu a guerra do Vietnã, o que dá a entender que Jeffrey e seus pais são refugiados da guerra, e por esse fato acabam sofrendo durante o livro já que são diversas vezes humilhados por esse fato. 

Então começamos as decepções. É de se imaginar que com tantas perguntas e tantas informações a narrativa se torne cada vez mais envolvente não é mesmo? Não, não foi isso que aconteceu. Depois de juntar inúmeras questões o autor fez seus personagens sentarem para um “chá das quatro”. Sim, isso mesmo, ao invés de estarem cheios de perguntas na cabeça, muitas vezes Charlie, que é o nosso protagonista em primeira pessoa parece esquecer dos grandes problemas que está envolvido e começa a refletir demais sobre uma vida bem distante da que se passa ao seu redor. Em alguns momentos isso tornou a leitura insuportável, não por ser ruim e sim por muitas vezes você se pergunta se trocou de livro pra ler já que de uma história de assassinato vamos para uma questão de existência filosófica. 

Mesmo com os momentos que classifico como tediantes da narrativa, acho que ainda avaliaria com pontuação máxima o livro, pois um final surpreendente faria sem dúvida alguma, eu amá-lo, mas infelizmente, o final se mostrou nada surpreendente. Previsível e sem muitas surpresas caracterizam o desfecho da história, que tinha tudo, para ser o melhor livro que já li. 

O autor soube criar seus personagens extremamente bem, não dá para definir o que mais me cativou e qual me fez refletir mais sobre minha própria vida. Foram inúmeras as citações que marquei durante o texto, definitivamente, meus marcadores de citações entraram e extinção depois da leitura dessa obra. 

Chego ao final dessa resenha na certeza de que você leitor deve ler esse livro caso goste de histórias com temas reais e com personagens que ensinam muitíssimo. Já para aqueles que são fãs de mistério, essa não é uma história que precise quebrar tanto a cabeça para decifrar o final.

12 comentários:

Sarah disse...

Adorei a capa e a estória. Mistério não é muito minha praia, mas acho que leria. :)

kimberly gomez disse...

parabéns resenha bem redigida!!
mais um livro que estará em minha lista.

Erica Lima disse...

Nossa, não conhecia esse livro, ainda não tinha lido nenhuma resenha nem nada...
Que pena que é meio fraco esse livro, mas ainda assim acho que vou lê-lo...

Matheus Moura disse...

O autor foi bem espertinho com o título do livro, obviamente segredos nos despertam curiosidade automaticamente (PLL fala por mim). A editora caprichou na capa, assim como na sinopse - é de se esperar quando falamos na Intrínseca u.u . Como sou fã de segredos, espero ler, mesmo só com três estrelinhas e como nosso gosto é parecido, a margem de erros será mínima! =)

Marii ♥ disse...

Hum , o livro me pareceu interessante nos 3 primeiros paragrafos da resenha, quando vc mencionou que o final acaba sendo nada desvendador, o livro caiu em conceito na hora.Pra mim quando o livro se inicia com um mistério ele tem que acabar com ele ou ser desvendado. assim como PLL , A sempre estra presente, e vai ser desvendada? Agora , o livro não foi um dos mais cativantes pra mim. Mais parabéns pela resenha

franfernands disse...

Acho que não leria, gosto de surpresa em todos os momentos, nada muito simplório ou fácil de se adivinhar, o que acaba perdendo toda a graça. Mas a resenha está muito bem escrita e estruturada.

Fernanda Faria disse...

Não faz muito o meu estilo ;/ Sei lá não me atraiu muito, ainda mais que eu tenho o mal hábito de ficar julgando pela capa. E ela ficou meio sem graça, sei lá. Mas como eu gostei da sua resenha, eu acho que daria uma nova chance ao livro
beijos
Fernanda
www.lendoeesmaltando.blogspot.com.br

Caique Fortunato disse...

Legal que esse livro dividiu sua opinião. Não conhecia ele ainda, achei a capa interessante. Achei o enredo muito legal e interessante, ao mesmo tempo intrigante, pena que não foi tão bem desenvolvido :/

Abraços
www.entrepaginasdelivros.com/

Luciana Cardoso disse...

É a primeira vez que vejo esse livro, ainda não o conhecia.
Ao ler a sinopse e a sua resenha achei a história um tanto interessante, com alguns pontos fracos com vc disse mais acho que eu o leria sim.

Adrielly Pontes disse...

Essa capa é linda mesmo, me lembrou um pouco a capa de o verão e a cidade. Me interessei pela sinopse mas tô com medo de comprar e não gostar do desfecho como você. Já li livros de histórias muito lindas com finais horríveis e fiquei muito chateada, é frustrante mesmo. Porém, como eu amo histórias reais e com personagens que ensinam muitíssimo, como você citou, vou dar uma chance ao livro e espero não me decepcionar.

Mariana Silva disse...

Amo livros com essa temática, pelo que vi, o livro é bom mas sem tanto suspense para o final, mas mesmo assim já está na lista das minhas próximas compras :p

Desventuras em Série disse...

Acabei de comprar esse livro, e procurei sobre resenhas dele. Gostei muito da sua, e acho que vou gostar muito do livro pois, da uma ideia de uma mistura singela entre história juvenil e ao mesmo tempo adulta. Até mais.
http://desventuras-em.blogspot.com.br/

Postar um comentário

Manuseador da pena

Juan Silva, 16 anos, Carioca e Sagitariano. 3º ano e estudante do curso técnico de química. Não vivo sem bons livros, séries e filmes. De vez em quando, um café gelado sempre é bem vindo. {mais?}

Seguidores

No Facebook

Últimas Resenhas

Promoções

#Tagalerando

Editoras Parceiras

Arquivo

 

Layout desenvolvido exclusivamente por Tharcila Lima para o Asas Literárias. Veja o portfólio.