Resenha de Livro: Cuco - Julia Crouch

9 comentário(s)
Título: Cuco
Título Original: Cuckoo
Autor: Julia Crouch
ISBN: 978-85-8163-022-9
Páginas: 464
Ano: 2012
Editora: Novo Conceito
Preço Sugerido: 29,90 

Polly é a mais antiga amiga de Rose. Então quando ela liga para dar a notícia que seu marido morreu, Rose não pensa duas vezes ao convidá-la para ficar em sua casa. Ela faria qualquer coisa pela amiga; sempre foi assim.
Polly sempre foi singular — uma das qualidades que Rose mais admirava nela — e desde o momento em que ela e seus dois filhos chegaram na porta de Rose, fica óbvio que ela não é uma típica viúva. Mas quanto mais Polly fica na casa, mais Rose pensa o quanto a conhece. Ela não consegue parar de pensar, também, se sua presença tem algo a ver com o fato de Rose estar perdendo o controle de sua família e sua casa.
Enquanto o mundo de Rose é meticulosamente destruído, uma coisa fica clara: tirar Polly da casa está cada vez mais difícil.










Com sua sinopse misteriosa e cheia de fragmentos ocultos, Cuco me conquistou à primeira vista. Sua história se assemelha bastante com o enredos das navelas brasileiras entretanto, possui um ar de mistério e sentimentos mais dramático e obscuro.







Acho que Cuco chegou as minhas mão em um momento muito oportuno. Depois de ler um número considerável de livros a maioria dos leitores consegue devorar livros pequenos em um ou dois dias, o que é ótimo em termo de agilidade e bem ruim em alguns casos no quesito se apegar a história e aos personagens. Cuco possui mais de quatrocentas páginas e foi capaz de me prender por várias horas seguidas com uma história envolvente e personagens marcantes e envolventes. 

A história do livro começa tendo como palco a família de Rose, uma inglesa que já viveu intensamente as maiores loucuras e aventuras durante a adolescência e tudo que quer agora é permanecer em paz ao lado do seu marido Gareth e suas duas filhas, Anna e Flossie. Um certo dia, Rose recebe uma ligação onde Molly, sua melhor amiga que estava morando na Grécia informa que seu marido morreu. Tentando ser uma boa amiga e buscando ajudar no momento trágico, Rose convida sua amiga para ficar na sua casa por um tempo até que as coisas se organizem sem pensar que estava pondo um perigo enorme dentro da sua própria casa. 

Depois que Molly chega até a sua casa coisas estranhas começam a acontecer. Primeiro, a filha mais nova de Rose, Flossie ingere uma das pílulas de Molly aparentemente por um acidente o que resulta em vários dias no hospital. Por conseguinte, seu marido começa a agir de forma estranha e alguns detalhes fazem com que Rose pense estar sendo traído. E são muitas outras as coisas que começam a acontecer depois da vinda de Molly. 

Nada do que foi dito no parágrafo anterior vem a ser um spolier do que acontece no livro. Julia Crouch tem uma característica semelhante ao que o famoso autor brasileiro Machado de Assis usa em muitos dos seus textos. Ambos usam e abusam da visão pessoal de cada leitor para determinar se certas coisas aconteceram ou não, ou seja, muitas coisas ou não são possíveis definir como fato ou não, ou só podem assim ser com uma análise minuciosa e atenta. 

Cuco para quem não sabe é um nome de um pássaro que tem como característica roubar o ninho de outros passarinho. Da função nada elegante desse pássaro conseguimos destinguir claramente a metáfora que o envolve o comparando com a personagem Molly. 

Título, sinopse, narrativa e personagens fizeram com que eu adorasse esse livro, se não fosse o final que me pareceu um tanto que simples. Esperei um pouco mais no final, por mais que tenham me deixado de boca aberta com os três últimos parágrafos. 






- Às vezes devemos olhar para além de nós, Anna. Os meninos precisam do cuidado devido que não terão na edícula. Eles precisam estar aqui. - Quanto mais descobria a cerca de Polly, mais certa estava de que era este o caso. - Pag. 246







Sem dúvida alguma, Cuco é um livro que eu indico para todas as pessoas. Fazia tempo que eu não lia um livro que me marcasse e me cativasse tanto. Certamente, essa obra levará muito tempo para sair da minha cabeça.


9 comentários:

Érika Mello disse...

Já queria ler esse livro, agora minha vontade só aumentou... =)

O Resenhista disse...

Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaai essas resenhas que ficam me fazendo inveja.
Tenho Cuco aqui e dei uma olhada no primeiro capítulo, e me parece um livro bastante promissor, (já estou bravo... Justin Bieber vai estar em Cinquenta Tons de Cinza, acabaram com a história em 3... 2... 1).
De fato esse livro jnto com Charlotte Street e Tudo o que ela Sempre Quis estão me chamando desesperadamente para serem devorados... Mas precisam esperar porque a estante aqui ta grande, kkk

Gostei da Resenha, parabéns...

Abraços,

Uillian Cardoso
http://deresenhas.blogspot.com

Colunista:
http://segredosdocoracao.com

Caique Fortunato disse...

Oi Juan, gostei muito da resenha. Já li esse livro e achei muito legal a narrativa e a proposta da autora. O que atrapalhou um pouco, na minha opinião, foi o excesso de detalhes em algumas partes. Mas gostei do final, achei tipo esses filmes de terror.

Abraços
www.entrepaginasdelivros.com

Anônimo disse...

Resenhas devem ser unas e não segmentadas como a sua... pq não aprende a resenhar? 16 primaveras presenciadas? pqp heim... Não viveu nenhuma delas? Só ficou olhando passar? Lamentável ver blogs literários tão fracos...

Juan Florêncio disse...

Olá anônimo,

É realmente uma pena que você não goste de resenhas segmentadas, ou dividades. Sempre recebo muitos elogios por fazer resenhas assim. Aliás, ela começou a se popularizar entre os blogs, já que é mais fácil de ler e bem mais dinâmica. Discordo da sua certeza de como deve-se ser feita uma resenha, acho que todos temos várias ideias, e dessas ideias surgem inúmeras inovações e novidades. Já imaginou se todos pensassem como você? Todos os blogs seriam iguais. Sim, já tenho 16 anos e é uma pena que você ache que não as vivi, pois sim, as vivi. Ah, e mais uma pena ainda que ache meu blog fraco. Acho que consegui muita coisa aqui, sabe? E amo o que faço. De qualquer modo, obrigado pela sua sinceridade, e da próxima vez, que tal mostrar seu rosto? Enquanto você acha meu trabalho fraco, acho sua pessoa um tanto que covarde por criticar e esconder o rosto atrás da fala.

Meus sinceros agradecimentos por expor sua opinião,
Seja sempre bem vindo. :)

O Resenhista disse...

Quer apostar quanto que se ele comentar de novo vai ser pra dizer que postou como anônimo porque sabia que as pessoas iriam vir aqui xingá-lo?
Mente pequena e pobre, é isso o que digo... O Asas Literárias tem facebook, tem e-mail e twitter. E o Juan ainda tem o skoob. Em todos eles, você poderia ter mandado seu recado mostrando a cara e mesmo assim se mantendo no anonimato para as outras pessoas.

É lamentável ver que pessoas pensam tão pequeno num país onde a possibilidade de pensar bem é épica...
Covarde e tolo.

O Asas Literárias é um ótimo blog, e quando precisar falar algo, fale com coragem, mostre seu rosto.

Abraços Juan,

Uillian Cardoso - http://deresenhas.blogspot.com

Coluunista - http://wwwsegredosdocoracao.com

Anônimo disse...

Acho que você não sabe o que presenciar significa, vou dar uma ajuda: Significado de Presenciar

v.t. Assistir a, estar presente a.
Ver.
Verificar, observar.

Sinônimos de Presenciar

Sinônimo de presenciar: assistir, observar, testemunhar e ver

Você postar que tem 16 primaveras "presenciadas" da a entender que apenas as testemunhou e nao vivenciou.

E mais uma dica: http://www.posgraduando.com/guia/como-elaborar-uma-resenha-critica

Pensar tão pequeno? Lamentável é ver adolescentes tão ignorantes e blogs tão pobres.

E para "O resenhista" : É lamentável ver que pessoas pensam tão pequeno num país onde a possibilidade de pensar bem é épica...

Hahaha, que frase é essa? possibilidade de pensar bem é épica? Meu Deus, você quer usar palavras bonitas mas usa totalmente fora do contexto!!

Significado de épico:

Acontecimento histórico grandioso e dramático, que implica em alguma mudança histórica ou foi um fato de grande relevância


Pessoal, comecem a estudar, pelo amor de Deus!!

Juan Florêncio disse...

Anônimo, meu caro,

Do que adianta ter conhecimento sem sabedoria? Você se enrolou todo e se complicou ainda mais. Seu único intuito aqui foi causar polêmica, mas felizmente, você está cercado de pessoas educadas, então, não vai rolar. Essa é a última resposta que dirijo a você, e se me permite assim como me deu o conselho de estudar te dou um conselho também, comece a ter educação pelo amor de Deus. Como já foi dito, tenho redes sociais, se você quiser sair da sua área covarde e conversar, fique a vontade. Sou ótimo com críticas, mas como já deu para perceber, não tolero falta de respeito comigo, meu trabalho e meu público.

Tenha uma boa noite. :)

O Resenhista disse...

Eu não vou nem me preocupar com comentários tolos, de pessoas sem noção que não sabem compreender uma força de expressão.
Você pode dizer o que quiser, e quando vocÊ postar algo coerente, talvez eu dispense um pingo de respeito pra você, mas enquanto você é um covarde, sem noção e tolo. Só posso rir de suas palavras e esperar pela próxima resenha do Asas Literárias. Porque a opinião do blog tem mais valor que a sua existência...

Abraços.

Uillian Cardoso - http://deresenhas.blogspot.com

Colunista - hhtp://www.segredosdocoracao.com

Postar um comentário

Manuseador da pena

Juan Silva, 16 anos, Carioca e Sagitariano. 3º ano e estudante do curso técnico de química. Não vivo sem bons livros, séries e filmes. De vez em quando, um café gelado sempre é bem vindo. {mais?}

Seguidores

No Facebook

Últimas Resenhas

Promoções

#Tagalerando

Editoras Parceiras

Arquivo

 

Layout desenvolvido exclusivamente por Tharcila Lima para o Asas Literárias. Veja o portfólio.